quinta-feira, 14 de julho de 2011

Auto estima e diabétes

Olá caros leitores, venho falar hoje de um assunto muito importante para todos, mas principalmente para as pessoas com diabétes tipo 1 mellitus.
  Estava lendo um artigo sobre psicologia,pois fiquei realmente curioso o porque os médicos que conversei davam tanta ênfase ao tratamento psicologico do diabétes, a leitura foi muito prazerosa e informativa, para quem quiser ler basta clicar aqui. Mas vou dar um apanhado geral da matéria que achei muito interessante e informativa e irei mesclar com experiências próprias.
Antigamente se pensava que a diabétes era só um fator físico,uma doença que não depende da parte emocional,mas hoje sabe-se que a diabétes esta tão e até mais ligada a fatores emocionais quanto a fatores físicos.Aliás muitos especialistas afirmam que para o surgimento da diabétes tipo 1 e 2 não basta somente os fatores hereditários ou físicos ( como sobrepeso ) mas uma mescla entre os dois.Eu já ouvi casos de pessoas que desenvolveram a diabétes depois da morte de alguém querido ou de alguma decepção da vida e até mesmo pelo alto nível de stress !
Logo no inicio do tratamento descobri a importância do emocional e as dificuldades encontradas pela maioria dos diabéticos como sentimentos de culpa, depressão, stress, medo do futuro, sentimento de íra por causa da doença,dificuldades de raciocinio causadas pela hipoglicemia e principalmente a luta entre fazer o que querer seguindo os estintos e a de fazer o que e necessário o que origina em quase 100% dos diabéticos uma luta interna ente a Razão vs Sensibilidade.Percebi que quando ficava nervoso minha diabétes subia, subia e chegava nos 600 mg/dl em uma facilidade que nem eu comendo pizza ficaria assim(hehehe).No texto referido acima um jovem fez um desabafo a um médico dizendo  que não podia ficar nervoso, porque sua glicemia já se descontrolava e ela começava a passar mal.
Sentimentos de suicídio acudem a maioria dos jovens que descobrem a diabétes,principalmente na adolescência,pois crianças com menos de 10 anos de idade apresentam um quadro menos pacivo de mudanças psicológicas.Há uma porcentagem maior de crianças emocionalmente perturbadas entre as crianças diabéticas do que na população em geral. Os problemas mais encontrados consistem principalmente de dificuldades no controle do diabetes, rebelião, depressão, distúrbio de comportamento e de aprendizagem. Quando surgem casos de neuroses e psicoses, a necessidade de tratamento psicoterápico torna-se urgente, pois o diabetes tende a reforçar o desenvolvimento neurótico ou psicótico preexistente na criança ou na interação-familiar.
 Para ajudar na auto estima é necessário compreender que não somos os únicos a terem diabétes, mais de 280 milhões de pessoas no mundo tem diabétes, certo dia fui comprar Pão Integral no Carrefour e queria saber se existia pão Diet e sem carboidratos(não existe nem em imaginação), então perguntei a um moço que trabalhava lá na seção de pães e ele sorriu para mim e disse: Você é diabético?!- eu vendo a alegria dele em encontrar uma pessoa que passava pelas mesmas dificuldades exclamei reciprocamente e ele esclareceu minhas dúvidas e até me aliviou um pouco porque fiquei por um bom tempo com um sentimento de isolamento,ele disse que não toma insulina apesar de ser diabético tipo 1 e que com exercícios, alimentação saúdavel e controle emocional ele consegue manter sua diabétes em níveis normais contou-me que quando ele foi comprar seu carro ficou muito ansioso e a diabétes dele foi lá para o céu (ficou alta) o que abriu meus olhos para a importância do relacionamento e da troca de experiências entre os diabéticos.
Para todos os jovens diabéticos eu recomendo que se abram com os outros, criem blogs,se relacionem com outros diabéticos e procurem um psicologo e também alguém que confie para desabafar ,e , não se esqueça que você não esta só no mundo é mais um entre uma multidão crecente de 210 milhões de seres humanos , encarre a dificuldade do seu pâncreas em produzir insulina como um recomeço para uma vida mais saúdavel.


Um comentário:

  1. Oii ( :
    Eu gostei do seu blog, achei muito interessante.
    E é verdade: fatores como o aumento da taxa de glicose no sangue não se deve somente pela alimentação, mas também a aspectos emocionais.
    Fez bem em compartilhar conosco algumas de suas experiências. Me identifiquei com algumas delas.
    Estamos juntos nessa ! rs
    Um beijo.

    Angelica.

    ResponderExcluir